Untitled
Seja +

Mensagens de Amor

6 Dicas para seus relacionamentos durarem

6 Dicas para seus relacionamentos durarem
No fundo, no fundo (às vezes nem tão fundo assim!), todo mundo gostaria de ter uma receita para fazer um relacionamento durar e se manter sempre feliz. Eu mesma gostaria de poder dar esse tipo de receita aqui, pois ela ajudaria milhares de pessoas a conseguirem o sucesso no amor. A má notícia, no entanto, é que esse tipo de receita, ou fórmula mágica, simplesmente não existe. E a razão para isso é bastante compreensível: relacionamentos são compostos por pessoas, e pessoas são diferentes umas das outras. Há casais que passam a vida inteira se relacionando de maneiras que outras pessoas jamais se relacionariam. Felicidade para um casal pode ser infelicidade para outros, e vice-versa. Se as pessoas são tão diferentes entre si, como uma única fórmula poderia se aplicar a todos?

Imagino que neste momento vocês devem estar achando paradoxal um artigo que contém dicas para que os relacionamentos durem iniciar dizendo justamente que não há receitas para isso. Há, porém, uma diferença importante entre receitas/fórmulas e dicas. Enquanto as primeiras são espécies de “passo a passo para o sucesso”, as últimas devem ser tomadas como sugestões, ou seja, são “relativizáveis”, são flexíveis. Em outras palavras, as dicas não são uma regra que se aplique em qualquer caso. Cabe, portanto, ao leitor encontrar as sugestões que se adequem ao seu próprio estilo e à sua personalidade. Vamos lá?

Diálogos evitam brigas

Os homens costumam ter uma certa implicância com o tal de “discutir a relação”, mas a verdade é que estas conversas geralmente são extremamente saudáveis para os relacionamentos. Quando pequenas insatisfações vão se acumulando, a tendência é que, com o tempo, elas se tornem uma enorme bola de neve de mágoas, reclamações e raivas. Às vezes essa bola de neve é tão grande que, quando ela “rola”, “soterra” a relação. Melhor do que deixar a bola de neve crescer é cortar o mal pela raiz, ou seja, ir conversando aos poucos, conforme as questões vão surgindo. Meninas, isso não significa discutir a relação o tempo todo ou sempre que vocês quiserem. Lembrem-se de que conversas dependem da vontade de duas pessoas.

Esfriem a cabeça para tomar decisões

Brigas são inevitáveis, infelizmente este é um fato do qual nenhum casal consegue escapar. Isso não significa, no entanto, que as brigas sejam um bom momento para a tomada de decisões. Pelo contrário, estas são ocasiões em que é melhor não resolver nada, pois as chances de arrependimento são grandes demais. Se as cabeças estão quentes, esperem esfriar. Se afastem, durmam, conversem com outras pessoas... Enfim, façam o possível para pensar as coisas de maneira mais equilibrada para, só então, tomar decisões.

1+1=2

“Você me completa”, “nós dois somos um só” e frases análogas podem ser muito bonitas e poéticas, mas não são verdadeiras. Na matemática mais elementar, uma pessoa somada à outra resultam em duas pessoas, e não em uma só. Cada uma delas tem seus próprios pensamentos, seu próprio jeito de ser, sua própria individualidade, suas próprias vontades... Por mais óbvio que tudo isso pareça, há casais que se esquecem disso, e sofrem por este esquecimento. O resultado é que um acaba querendo que o outro pense e aja exatamente como ele(a) pensaria e agiria, e tenta impor sua visão quase “na marra”. Não dá.

Joguem frescobol

Pegando “emprestado” o pensamento de Rubem Alves, há relações que são como o tênis e outras que são como o frescobol. Nas primeiras, é a competição que domina: cada um precisa impor sua ideia, “ganhar” do outro, atingi-lo em seus pontos fracos, tudo isso com o objetivo de sagrar-se vencedor (a). No frescobol, pelo contrário, não há um vencedor e um perdedor. Os dois jogam juntos com um mesmo objetivo: o de não deixar a bola (ou a relação!) cair. Se um ganha, os dois ganham. Se um perde, os dois perdem. Assim sendo, em uma relação o ideal é que ambos joguem frescobol. Em muitos relacionamentos, as disputas acabam se tornando mais importantes do que a relação em si, o que não apenas é cansativo, mas também desgastante para os dois. Joguem juntos, e não um contra o outro!

Fujam da rotina

Depois de um tempo de relacionamento, é natural que tudo deixe de ser uma novidade, que as intensas emoções do início se amenizem e que a rotina acabe chegando. Isso não quer dizer, no entanto, que, a partir deste momento, a relação precise necessariamente se tornar chata e monótona. Cabe ao casal impedir que isso aconteça, fazendo todo o possível para conseguir escapar da rotina. Tentem fazer coisas diferentes, divirtam-se juntos, inventem programas, façam planos, surpreendam um ao outro. Ou seja, deixem a rotina somente para o que for inevitável!

Mantenham a chama acesa

Um dos efeitos mais notáveis da rotina na vida de um casal é no que diz respeito ao sexo. Se no início o sexo era ótimo, empolgante, arrebatador, desejado quase o tempo todo, com o tempo o encanto parece ir se desfazendo e a coisa vai naturalmente “esfriando”. Não deixem, então, que ele esfrie. Sejam criativos também no sexo, inventem, criem, mudem de cenário, tentem coisas novas... Mantenham sempre a chama acesa!

escrito por

Dra. Mariana Santiago de Matos Psicóloga

Psicóloga e psicoterapeuta. Doutoranda em Psicologia Clínica pela PUC-Rio. Mestre em Psicologia Clínica pela PUC-Rio (2004) com dissertação sobre relacionamentos amorosos na adolescência